Pular para o conteúdo principal

A sentença de morte da política monetária moderna


A manchete e o parágrafo de abertura que vocês estão vendo é do blog oficial do FMI (Fundo Monetário Internacional), um produto da Conferência de Bretton Woods em 1944 com a tarefa de sobrecarregar os países em dificuldades com mais dívidas e medidas onerosas de austeridade. Sinto muito por expor a todos este blog terrível com idéias INSANAS, mas também sinto que é essencial que comecemos a agressivamente expor a crescente linha de pensamento proveniente dessas instituições que querem empurrar o mundo para uma sociedade sem dinheiro físico para que eles possam instituir juros negativos na população global.

Para aqueles de vocês não familiarizados com o caminho que nos levou a este ponto, aqui está uma rápida atualização do tio Marty. O mundo tem estado no processo de uma transição lenta onde saímos de um modelo de dinheiro sólido (o Padrão Ouro) para um sistema monetário dirigido por acadêmicos (endossados ​​e protegidos pelo Estado) que pensam que podem microgerenciar as economias de uma rocha voando pelo espaço habitada por 7,5 bilhões de pessoas. Esse experimento pode estar chegando no limite de sua capacidade, quando esses acadêmicos perceberem que suas políticas os colocaram em uma posição precária. Eles estão sem munição na luta contra os ciclos de expansão e colapso econômico que tais teorias - como o keynesianismo - permitiram e podem estar indo em direção ao colapso à medida que a dívida global atinge níveis extravagantes, economias interconectadas começam a desacelerar e a capacidade de manter as taxas de juros acima 0% parece estar se tornando menos provável a cada dia.

Como resultado, esses acadêmicos estão começando a promulgar uma campanha de normalização para convencer o mundo de que as taxas de juros negativas são boas para a economia e, por sua vez, para o indivíduo. Isso não poderia estar mais longe da verdade. Se promulgadas, as taxas de juros negativas basicamente tributariam o dinheiro que você deposita em sua conta bancária. Nós vivemos em um tempo onde o cidadão comum não pode dispor de despesas de emergência de R$400. Pensar em promulgar taxas de juros negativas sobre as pessoas nessa posição é insano e perverso.

Nós nos vemos falando sobre isso porque os acadêmicos que pensaram que poderiam microgerenciar a mão invisível do mercado se colocaram em um canto no qual eles literalmente não podem elevar as taxas acima de um certo ponto, porque se eles não conseguirem atender os juros dos pagamentos sobre os  U$ 244 TRILHÕES de dívida que o mundo está sentando. Eles literalmente precisam cobrar sobre os depósitos para manter a música tocando. Para manter viva essa charada de estabilidade.

Qualquer um que goste de pensar em si mesmo como um humano respeitável deve se revoltar contra a própria noção de taxas de juros negativas. Primeiro de tudo, aplicá-los significa que nos transformamos em uma sociedade sem dinheiro distópica. A intromissão abrangente na liberdade individual que seriam necessárias para tornar possíveis as sociedades sem dinheiro é doentio o suficiente. Pensar em um mundo onde os formuladores de políticas aboliram com sucesso o dinheiro e promulgaram taxas de juros negativas sobre todos é absolutamente aterrorizante.

Não esqueçamos, esses políticos e inventores do dinheiro são os que nos colocam nessa posição. E agora eles querem nos punir por seus experimentos fracassados. É hora de acordar e perceber que nem tudo está bem no mundo. Especialmente o mundo do dinheiro. É hora de chamar de besteira esse absurdo e começar a falar sobre como podemos acabar com esse experimento de 100 anos que levou a uma das maiores divisões de riqueza que o mundo já viu.

Felizmente, temos o Bitcoin, um ativo portador de dinheiro digital que nos dá uma ferramenta muito forte na luta contra essa tirania sempre difundida.

Para mais informações sobre o funcionamento do sistema monetário atual, o vídeo abaixo explica de forma clara e abrangente:



Texto traduzido a partir da newsletter #422 do Marty's Ƀent.