Pular para o conteúdo principal

Bitcoin é um seguro contra burocratas


Distribuição dos nodos da rede Bitcoin, cada nodo confirma e verifica a validade das transações de forma independente, o consenso entre os nodos possui a maior capacidade de processamento já inventada pelo ser humano e transforma o Bitcoin no sistema financeiro mais seguro do planeta.

Vamos seguir a lógica das coisas desde o começo. Ou melhor, do final: os tempos modernos. Nós estamos, enquanto escrevo estas linhas, testemunhando um motim completo contra uma classe de especialistas, em domínios que são muito difíceis para nós entendermos, como a realidade macroeconômica, e na qual não apenas o especialista não é um especialista, mas ele não sabe que não é um especialista. O fato de que os ex-chefes do Federal Reserve: Greenspan e Bernanke, tinham pouca compreensão da realidade empírica é algo que só descobrimos tarde demais: é por isso que precisamos ser cuidadosos com quem toma decisões macro de forma centralizada.

O pior é que todos os bancos centrais operam sob o mesmo modelo, tornando-se uma monocultura perfeita para colapsos sistêmicos.

No domínio complexo, a especialização não se concentra: sob a realidade orgânica, as coisas funcionam de maneira distribuída, como Hayek demonstrou de forma convincente. Mas Hayek usou a noção de conhecimento distribuído. Bem, parece que nem precisamos dessa coisa chamada conhecimento para que as coisas funcionem bem. Nem precisamos de racionalidade individual. Tudo o que precisamos é de estrutura.

Isso não significa que todos os participantes têm um compartilhamento democrático de decisões. Um participante motivado pode mover a agulha de maneira desproporcional (o que estudei como a assimetria da regra da minoria). Mas todo participante tem a opção de ser esse jogador.

De alguma forma, sob a transformação de escala, surge um efeito milagroso: os mercados racionais não exigem que qualquer operador individual seja racional. Na verdade, eles funcionam bem abaixo da inteligência zero - uma multidão de inteligência zero, sob o design certo, funciona melhor do que um administrador de estilo soviético composto por humanos extremamente inteligentes.

 
É por isso que o Bitcoin é uma excelente idéia. Ele preenche as necessidades de um sistema complexo, não porque é uma criptomoeda, mas precisamente porque não tem dono, nenhuma autoridade que possa decidir sobre seu destino. É de propriedade da multidão, seus usuários. E agora tem um histórico de vários anos, o suficiente para ser um animal por si só.

Para que outras moedas criptográficas possam competir, elas precisam ter essa propriedade hayekiana.

Bitcoin é uma moeda sem governo. Mas, alguém pode perguntar, não temos ouro, prata e outros metais, outra classe de moedas sem governo? Não é bem assim. Quando você troca ouro, você acaba recebendo um título e os bancos controlam o jogo de custódia e os governos controlam os bancos (ou melhor, os banqueiros e funcionários do governo são, para sermos educados, bem unidos). Portanto, o Bitcoin tem uma enorme vantagem sobre o ouro nas transações: a liberação não exige um custodiante específico. Nenhum governo pode controlar o código que você tem em sua cabeça.

Finalmente, o Bitcoin passará por dificuldades. Pode falhar, mas então será facilmente reinventado pois sabemos agora como funciona. Em seu estado atual, pode não ser conveniente para transações, não o suficiente para comprar seu expresso macchiato descafeinado em sua cadeia local de sinalização de virtudes. Pode ser muito volátil para ser uma moeda, por enquanto. Mas é a primeira moeda orgânica. [1]

Sua mera existência é uma apólice de seguro que lembrará os governos de que o seu último objeto de controle, o dinheiro, não é mais seu monopólio. Isso dá a nós, o povo, uma apólice de seguro contra um futuro orwelliano.