Pular para o conteúdo principal

Não é blockchain, mas timechain

O que você está vendo é uma seção de notas em uma cópia do código-fonte de pré-lançamento do Bitcoin que Satoshi compartilhou com alguns revisores antes de minar o bloco Genesis em janeiro de 2009. Essa cópia do código do Satoshi havia sido revisado por alguns cypherpunks antes dele lançá-lo oficialmente e foi compartilhado no Bitcointalk.org em 2013, ressurgindo por Francis Pouliot no início desta semana no Twitter. Como você pode ver em suas anotações no código, Satoshi pensou no Bitcoin como uma "timechain" e não como uma "blockchain", um equívoco que nós humildes plebeus cometemos em relação ao Bitcoin depois que ele foi lançado.


É muito interessante notar esta questão, especialmente considerando a popularização, mercantilização e banalização da palavra "blockchain" ao longo da última década. Quão irônico é o fato de que a única palavra que todo profissional de marketing e membro político fora de sintonia tenha tomado para si e para os outros como verdadeiro, gastando uma quantia incalculável de dólares para elaborar uma narrativa, tenha se concretizado como farsa completa e absoluta. Isso não descreve adequadamente o que seu criador pretendia. Isso é verdadeiramente poético. Todos estão em uma corrida para criar uma "estratégia blockchain", correndo às cegas em uma arena estrangeira tentando justificar a exploração e orçamento para uma palavra que foi mal aplicada desde que entrou em nosso léxico. Vocês, malucos, entendem o que eu quero dizer quando digo que acredito que nossa sociedade está se tornando mais distante da realidade do que nunca? As evidências estão em todo lugar.

Fora toda essa desconexão das coisas com a realidade, vocês, malucos, devem dar atenção a Francis, enquanto ele faz um trabalho incrível ao apresentar algumas das melhores pérolas da versão de pré-lançamento do código-fonte, incluindo o fato de que Satoshi imaginou todo mundo chamando "sats" de "centavos", o que nem mesmo eu sabia até duas horas atrás. Estamos tão desconectados da realidade quanto os o adeptos da blockchain quando usamos o termo "sats" ao invés de "centavos"! Talvez, mas sinceramente, a utilização do termo "centavos" poderia causar confusão quando empregado em seu estado selvagem. Especialmente considerando que a consciência pública foi condicionada por um século a associar um centavo a uma denominação do dólar americano. Teria sido terrível tanto para a sua adoção quanto para seu uso em estado selvagem.

Por último, e provavelmente mais importante notar, a existência deste código de pré-lançamento e o fato de sabermos que uma boa quantidade de pessoas teve acesso a ele, revisou e forneceu feedback pode significar que houve mais participantes iniciais minerando bitcoin no primeiros dias do que pensávamos anteriormente. Tornando o Bitcoin mais distribuído do que se acredita. Talvez Satoshi represente um grupo de pessoas, e não apenas um indivíduo.

A história do Bitcoin, uma história fascinante com muitas pepitas ainda a serem desenterradas.

Texto traduzido a partir da newsletter #441 do Marty's Ƀent .